Empreendedorismo Agroecológico

Atlas Florestal - Empreendedorismo Agroecológico Polo Digital de Mogi das Cruzes

Década da Restauração

A década da restauração consiste em um chamado para a proteção e revitalização dos ecossistemas em todo o mundo, para o benefício das pessoas e da natureza. Tem como meta deter a degradação dos ecossistemas e restaurá-los para atingir os objetivos globais. Somente com ecossistemas saudáveis ​​podemos melhorar a vida das pessoas, neutralizar as mudanças climáticas e impedir o colapso da biodiversidade.

Durante os próximos dez anos, esforços não serão poupados por países que buscam atingir metas ambiciosas no âmbito da restauração florestal e, por isso, precisaremos de profissionais capacitados para absorver essas demandas.

As incertezas climáticas, a negligência política, a impotência social para mobilizações e a necessidade de ações coordenadas entre países do mundo inteiro fizeram com que a Organização das Nações Unidades (ONU) declarasse como a Década da Restauração os anos entre 2021 e 2030. Esse também é o prazo para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e o cronograma que os cientistas identificaram como a última chance de prevenir mudanças climáticas catastróficas.

Agroecologia

A agroecologia fornece bases científicas, metodológicas e técnicas para uma nova revolução agrária não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Os sistemas de produção fundados em princípios agroecológicos são biodiversos, resilientes, eficientes do ponto de vista energético, socialmente justos e constituem pilares de uma estratégia energética e produtiva fortemente vinculada à soberania alimentar.

Sob uma perspectiva de manejo, o objetivo da agroecologia é proporcionar ambientes equilibrados, rendimentos sustentáveis, preservação da fertilidade do solo e harmonia entre a produção e conservação ambiental.

Florestas Produtivas

O conceito de floresta produtiva se consolida na variedade de bens e serviços que elas oferecem para a sociedade.

Quando se planeja, implanta e maneja uma floresta produtiva, em que todos os bens e serviços são quantificados, valorados e comercializados, damos mais um passo na transição para uma economia mais verde e consciente.

Os Sistemas Agroflorestais (SAFs)[1] se apresentam como excelente solução para problemas contemporâneos, como mudanças climáticas, segurança alimentar e diminuição da pobreza.

A agricultura familiar pode ser beneficiada por esses sistemas, uma vez que a geração de renda por meio da diversificação dos produtos e versatilidade dos SAFs em pequenas áreas propiciam oportunidades de ascensão social dos pequenos agricultores e segurança climática para toda a população.


[1] Formas de uso e manejo do solo em que árvores ou arbustos são combinados, de maneira intencional e planejada, a cultivos agrícolas e/ou animais em uma mesma área, ao mesmo tempo (associação simultânea) ou em uma sequência de tempo (associação temporal), para diversificar a produção, ocupar a mão de obra, gerar renda, proteger o solo e a água, além de promover o envolvimento da população local. Fonte: Cartilha Senar, 2017.

Expoente Brasileiro

O Brasil já é uma potência florestal e agrícola, com grande oportunidade para projetos agroflorestais que podem ser utilizados como estratégias para restaurar áreas degradadas, gerando renda e sequestrando carbono da atmosfera.

Segundo o censo agropecuário realizado pelo IBGE em 2017, só no estado de São Paulo, o valor passa de 140 mil estabelecimentos agropecuários e abrange uma área equivalente a 8.182.708 hectares. Com base nestes números, podemos concluir:

  • Existe um grande potencial econômico baseado na produção sustentável de alimentos;
  • Dentre os pequenos produtores, a grande maioria não utiliza sistemas de gestão da produção e financeiros de suas propriedades;
  • A mão-de-obra qualificada para trabalhar em sistemas de produção agroecológica é insuficiente;
  • As mudanças climáticas e o mercado externo estão pressionando o Brasil a migrar para uma agricultura mais sustentável.

Movimentando uma economia sustentável baseada no valor da terra, é possível quebrar paradigmas sobre o desenvolvimento sustentável.

Empreendedorismo Agroecológico

O conceito do empreendedorismo agroecológico se baseia na visão de transformar uma propriedade rural em um negócio regenerativo.

Para isso, é necessário que o produtor se identifique como um empreendedor rural ao se apoiar nas premissas de uma gestão sustentável, tanto do ponto de vista técnico, quanto do ponto de vista socioeconômico.

Ações que fomentam o empreendedorismo agroecológico:

  • Fortalecimento das florestas multifuncionais produtivas;
  • Avaliação das propriedades (levantamento das situações e produções atuais);
  • Levantamento do potencial produtivo (escalabilidade de produção e viabilidade do mercado local);
  • Ações de divulgação e apresentação do produtor ou da rede produtora por meio do marketing digital;
  • Gestão das atividades de produção (utilização de ferramentas de gestão do consumo de insumos, mão de obra e logística do processo produtivo);
  • Fornecimento de assistência técnica aos produtores para melhoria da produção (técnicas de manejo, adubação, consórcio de espécies e controle de pragas);
  • Criação de redes colaborativas que auxiliam no processo de vendas e distribuição da produção.

Considerando esse novo marco estabelecido pela ONU, em relação à recuperação do ecossistema e à proteção dos meios naturais, assim como os movimentos em torno da agricultura familiar com uma visão sustentável em termos ambientais, sociais e econômicos, não podemos deixar de citar que as cidades tem um papel fundamental no alcance dos objetivos traçados para essa década. A governança entre o campo e a cidade é fundamental para o desenvolvimento da sociedade. Portanto, essa consciência e os incentivos dos governos são essenciais.

Vale frisar ainda que esse novo conceito acarreta em um ganha-ganha: o agricultor produz de forma sustentável, beneficiando o ecossistema e a população que depende de um meio ambiente saudável para viver; e a população recebe produtos de qualidade, livres de agrotóxicos, assegurando uma melhor qualidade de vida.

Empreendedorismo Agroecológico
Rolar para o topo